MENINO COM SÍNDROME DE DOWN É ESTUPRADO NA ESCOLA POR FUNCIONÁRIO

O auxiliar dos professores de uma escola na África do Sul, em East Rand, estuprou um aluno especial, o menino que tem síndrome de Down, uma vítima que não sabia como se defender da violência.

Quando a mãe foi buscar o filho na escola depois da aula, ela percebeu que algo estava errado. Preocupada com o filho, ela perguntou e ele contou. Ela disse que o menino estava muito estranho e exalando cheiro desagradável, mas antes de encontrar o filho, a mãe pediu ajuda a duas professoras da escola para ajudar a encontrar o menino, pois ele não costumava fazer isso. Após a busca, a mãe localizou o filho que parecia ter chorado, indignada após conversar com o menino, ela ainda encontrou as evidências do abuso no uniforme do filho.

Recentemente a mãe contou ao jornal local Sowetan News, como foi ter encontrado o filho n o dia 5 de agosto, quando o menino foi estuprado pelo funcionário do colégio; “Eu fiquei chocada e horrorizada. Eu cheguei a perder os sentidos por alguns momentos. Eu não conseguia acreditar no que aconteceu. Meu filho então revelou quem foi que o estuprou. Ele disse que foi estuprado pelo homem enquanto eu estava procurando por ele”.
No hospital, os médicos confirmaram o estupro, sendo que, a primeira atitude da mãe foi levar o filho para o pronto socorro. O menino estava muito abalado e precisava verificar ferimentos.

A direção da escola sugeriu que a mãe não levasse mais o filho para assistir as aulas, o motivo da orientação foi por não terem afastado o funcionário que violentou o aluno. Chocada, a mãe reuniu forças e levou o caso para a secretária da educação, só então o homem foi afastado da escola.

Disse a mãe indignada, “O que mais a polícia precisa? Eu já dei meu depoimento e eles sabem exatamente quem precisa ser preso!”.


Share on Google Plus

Postado por: Revista Novo Perfil

“O Mundo não lembra dos que não se fazem lembrar”. Anuncie Conosco. Contato: TIM (83) 999-386-921 E-mail: revistanovoperfil@hotmail.com
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário