Áudio vazado: Vereador combina ‘rachadinha’ com prefeito de importante cidade da Grande JP

Um suposto esquema de ‘rachadinha’, onde servidores indicados por vereadores trabalham na gestão municipal e devolvem parte dos salários para os políticos, pode estar acontecendo no município de Santa Rita, na Grande João Pessoa. A suspeita veio à tona nesta segunda-feira (8), após divulgação – feita pelo portal PB Agora – de áudios que apontam as negociações entre o Legislativo e o Executivo.

Quem aparece nas gravações tratando sobre as indicações é o vereador Cícero Medeiros (PRB), que, na semana passada após uma manobra, chegou a ser eleito presidente da Câmara Municipal – diante do afastamento do presidente Saulo Gustavo (Podemos) -, porém, teve a posse impedida por decisão judicial. Ele é aliado do prefeito Emerson Panta (PSDB).
O esquema

A prática negociada é conhecida como “rachadinha”. Onde pessoas indicadas por vereadores são nomeadas para trabalhar como servidores comissionados numa gestão municipal, e vão receber de salário apenas uma parte das remunerações.

A pessoa disponibiliza a documentação para constar como funcionário, mas não precisa trabalhar. Para tal ação, ela recebe uma parte do salário, e o montante maior da remuneração é repassado para quem fez a indicação – geralmente políticos ou agentes públicos.
O que contém nos áudios

Cícero está conversando com uma pessoa não identificada sobre a negociação com Panta. O parlamentar chega a citar um “benefício por fora”, e revela que o prefeito pediu calma e afirmou que vai ajudá-lo.

Em outro momento, Cícero relata que tem caminhões locados na Prefeitura de Santa Rita, o que gera lucro para ele. O parlamentar enfatiza que “não recebe mixaria”, uma vez que, além dos automóveis, ele também tem as vagas nos cargos comissionados – que lhe devolvem parte do salário através do esquema.


Em um terceiro áudio, o vereador chega a comentar valores específicos. Cícero detalha como faz a divisão do salário do servidor comissionado que ele indica: ele fica com R$ 1.080 e paga R$ 300 para a pessoa que está na folha. De acordo como parlamentar, ele já conta com 13 nomes indicados e quer inserir mais quatro,o que totalizaria 17 servidores no esquema de ‘rachadinha’.

O portal Paraíba Já uniu os três áudios em apenas uma mídia. A reportagem destaca que não há qualquer manipulação nos áudios originais.


‘Salário extra’ de R$ 14 mil

Com os 13 nomes indicados e presentes no esquema, conforme o próprio Cícero Medeiros, e ele “lucrando” R$ 1.080 de cada servidor, isso daria um valor de R$ 14.040 por mês.

Caso os quatro nomes que ele cita no áudio sejam inclusos na folha da Prefeitura de Santa Rita, ele chegaria a um “lucro” de R$ 18,3 mil mensais, somente com valores provenientes do esquema.



Da Redação 
Com ParaíbaJá
Share on Google Plus

Postado por: Revista Novo Perfil

“O Mundo não lembra dos que não se fazem lembrar”. Anuncie Conosco. Contato: TIM (83) 999-386-921 E-mail: revistanovoperfil@hotmail.com
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário